Consórcio de veículos vale a pena? Confira algumas dicas importantes antes de fechar negócio

Confira algumas dicas importantes sobre o assunto

São José dos Campos, 17 de abril de 2022, por Marcos Eduardo Carvalho – O consórcio de veículos é uma modalidade muito popular, já existe há 60 anos no mercado brasileiro e, atualmente, está em alta. Isso porque, em 2021, teve crescimento de 14,6% nas adesões em relação ao período de 2020.

Os dados são da Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores). Mas, será que vale a pena fazer um consórcio? O Olhar Automotivo vai falar um pouco sobre o assunto.

Veja em seguida: Saiba qual a importância de calibrar os pneus do carro e confira algumas dicas úteis

Primeiramente, não existe uma resposta conclusiva, pois tudo vai depender da necessidade do consumidor. Afinal de contas, quando se faz um financiamento, já se adquire o carro imediatamente. Caso faça um consórcio, vai ter que esperar um certo tempo para ser contemplado, o que não existe um prazo certo para acontecer.

Entretanto, o financiamento implica em juros, onde hoje em dia a taxa anual da Selic está acima dos 10%, impactando diretamente no valor final do veículo. No entanto, o consórcio não tem incidência de juros e conta apenas com a taxa de administração. Assim, para quem não tem pressa em adquirir um veículo de forma imediata, o consórcio se torna uma medida atrativa.

Qual o melhor momento para dar o lance do consórcio de carro?

Segundo os especialistas, o melhor momento para dar lances é entre dezembro e fevereiro, quando a concorrência é mais baixa. Além disso, deve-se dar no máximo 50% do valor da carta de crédito, desde que tenha esse valor disponível. Caso contrário, vale a pena esperar um pouco.

Veja em seguida: Volkswagen comemora sucesso do T-Cross nas vendas e aposta em crescimento

Ainda sobre valores, é importante ler o contrato do consórcio e apostar apenas em empresas conhecidas e sem registros de reclamações nos órgãos de defesa do consumidor. Outra questão importante é se atentar ao valor da parcela. Apesar de não ter juro, há um custo e o ideal é não comprometer mais que 30% de sua renda mensal. Assim, vai conseguir se planejar melhor.

Por fim, não opte pelo consórcio de um modelo específico, pois, poderá estar defasado na hora de dar o lance e ser contemplado. Por isso, prefira a carta de crédito, pois vai ter um valor em mãos para escolher o carro com calma, desde que dentro daquele valor. A seguir, acompanhe um vídeo do canal ‘Carro arretado’, com mais algumas discas sobre o assunto.

Veja em seguida: Como fazer para evitar ferrugem no chassi do seu carro? Confira essas dicas essenciais

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Ler Mais

Privacy & Cookies Policy