Rota do Asfalto: conheça o projeto criado para preparar carros em viagens longas; Belina é sucesso

Wagner Coronano, apaixonado por carros, comprou uma Belina para dar cursos e testar nas estradas

São José dos Campos, 12 de abril de 2022, por Marcos Eduardo Carvalho – O tecnólogo Wagner Coronado, de 57 anos, de São Paulo, sempre foi um apaixonado por carros, especialmente veículos mais antigos.  Logo, há três anos, criou o Projeto Rota do Asfalto, um programa que vista preparar veículos e seus proprietários para longas distâncias. Até porque ele mesmo já fez muito isso a bordo de um Del Rey. E o Olhar Automotivo conversou com ele para saber um pouco mais sobre o assunto.

Atualmente, ele conta com uma Belina ano 1988, a qual adquiriu exclusivamente para ministrar cursos online ao longo da restauração do veículo e ainda alimentar o canal no YouTube. Então, se trata de uma versão L, azul, com motor CHT 1.6. “Pagamos R$ 5.000 e gastamos um pouco mais desse valor para restaurar o veículo”, afirmou Coronado ao Olhar Automotivo.

Veja em seguida: De Gusttavo Lima, a Ludmilla e Neymar Jr., saiba quais são os carros dos famosos no Brasil

Apesar do Rota do Asfalto se dedicar a cursos online de mecânica, alguns clientes também levam os veículos pessoalmente para alguns ajustes e reformas. Atualmente, a Belina está totalmente desmontada para uma restauração completa. Inclusive, o veículo está no nome do filho dele, Raphael Pimpinato, 27 anos, engenheiro mecatrônico, que também participa do projeto.

As viagens do Rota dos Asfalto

Recentemente, Coronado organizou passeios em comboios com participantes de diversas regiões, especialmente do interior de São Paulo, para conhecer outros lugares. Até agora, foram dois passeios do tipo, um para São Roque, na Grande São Paulo, e outro para Monte Verde, em Minas Gerais. Mas, na última viagem, o participante tinha a opção de pernoitar em uma pousada local ou fazer um ‘bate-volta’.

Veja em seguida: Gasolina aditivada ou comum? Saiba a diferença de cada uma e qual usar no carro

“Antes das viagens em comboio que realizamos com nosso grupo, fizemos dois roteiros. Um deles ao nível do mar, em Ilhabela e o outro a mais de 2.000 m de altitude, no Pico de Itapeva, no município de Pindamonhangaba. Isso para avaliar o comportamento do carro”, disse Coronado, que nos próximos meses deverá realizar outros comboios.

Veículos em comboio durante parada em Monte Verde-MG - Rota do Asfalto
Veículos em comboio durante parada em Monte Verde-MG – Rota do Asfalto

Por fim, Wagner Coronado ressalta que é possível fazer boas viagens com carros antigos e em segurança. No entanto, desde que siga algumas orientações. “Nossa dica para viajar com um carro antigo é mantê-lo com a manutenção em dia e sempre utilizá-lo dentro de suas características. Aprender sobre seus sistemas mecânicos também ajuda bastante”, ressalta. A seguir, acompanhe um vídeo do canal ‘Rota do Asfalto’, com o início do desmonte da Belina.

Veja em seguida: Charles Leclerc comemora liderança e bom momento da Ferrari na Fórmula 1

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Ler Mais

Privacy & Cookies Policy