Veículos elétricos: circuito prevê carregamento com o carro em movimento

Circuito particular na Itália já testa, com sucesso, o novo sistema

São José dos Campos-SP, 10 de junho de 2022, por Marcos Eduardo Carvalho – Que tal carregar a bateria de seu veículo elétrico com ele em movimento? Isso poderá ser possível em um futuro não tão distante e o Olhar Automotivo vai falar um pouco sobre o assunto.

Primeiramente, a cidade de Chiari, na Itália, conta com um circuito de 1.500 metros de distância, em uma propriedade particular. Por lá, esses testes acontecem e, desta maneira, é possível carregar a bateria do veículo remotamente, sem precisar descer.

Veja em seguida: Ford aposta em motor elétrico de ‘prateleira’ nos Estados Unidos; saiba mais o assunto

Por exemplo, é como se a Rodovia Presidente Dutra, a mais movimentada do Brasil e que liga São Paulo ao Rio de Janeiro, tivesse vários pontos de recarga à distância, via wireless, em uma faixa específica.

Veículos elétricos e o DWPT

Desta maneira, a tecnologia que se usa é através do DWPT, sigla em inglês para Dinamyc Wirelles Power Transfer, que permite carregar esses veículos elétricos EV (sem fio), desde que em um ponto específico da estrada.

Veículos elétricos: circuito prevê carregamento com o carro em movimento. Foto: Masseratti Divulgação
Veículos elétricos: circuito prevê carregamento com o carro em movimento. Foto: Masseratti Divulgação

Inclusive, a Stellantis, rede de fabricantes que inclui a Fiat, Jeep, entre outras, está nesta parceria, com A35 Brebemi. E vem testando o novo 500 elétrico da marca italiana. Agora, os resultados são dos mais satisfatórios.

“O nosso plano estratégico de longo prazo, Dare Forward 2030, é baseado na premissa de oferecer ‘liberdade de mobilidade de vanguarda’ para todos e este projeto é a verdadeira essência do nosso rumo como empresa”, disse Anne-Lise Richard, head da Stellantis, através da assessoria de imprensa.

Veja em seguida: Na onda da sustentabilidade, Mini 100% elétrico aposta em pacotes para atrair consumidores

Como funciona, na prática, o projeto

No caso da pista italiana, que é um projeto-piloto, o veículo não gasta a energia armazenada em sua própria bateria. Isso porque é como se estivesse sempre recarregando o carro na beira da estrada e sem parar.

Além disso, a rapidez na recarga em movimento é semelhante aos carregadores convencionais. E mais: isso não causaria impacto nos motoristas e passageiros dentro dos veículos.

Portanto, se trata mesmo de uma tecnologia segura e de ponta, feita entre várias empresas parceiras. Embora os carros elétricos ainda engatinhem no Brasil e até mesmo no restante do mundo, essa tecnologia ainda promete fazer sucesso. E, possivelmente, revolucionar o setor.

Por fim, tudo isso tem, principalmente, uma finalidade sustentável, que visa facilitar o uso da tecnologia elétrica nos veículos.

Veja em seguida: Citroen comemora aumento de 143% nos emplacamentos em maio no Brasil; confira

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Ler Mais

Privacy & Cookies Policy